CuriosidadesTradição e cultura

INKAN – ASSINANDO DOCUMENTOS NO JAPÃO

Olá pessoal,

Esqueça a nossa tradicional assinatura ocidental! No Japão ela não terá validade nenhuma! Aqui o que vale é o inkan.
O Inkan (印鑑) ou Hanko (判子) é um carimbo pessoal com o sobrenome da pessoa usado pelos japoneses. Tem o mesmo valor da nossa assinatura e é muito utilizado em procedimentos como solicitações de documentos nas prefeituras, abertura de contas, correspondências, assinaturas de contratos de trabalho, entre outros. 
Esses carimbos são feitos normalmente de pedra, plástico ou madeira em formato cilíndrico. O sobrenome da pessoa vem escrito em kanji na vertical, mas hoje pode ser feito na horizontal também. Utiliza-se somente tinta vermelha.
Inkan confeccionado em pedra
 
Inkan confeccionado em madeira

Capinhas coloridas

Os sobrenomes mais comuns já ficam prontos na loja
Existe três tipos de inkan:
  • Jitsuin [実印] – é o carimbo que se registra na Prefeitura. É o carimbo mais importante, pois é utilizado em todas as transações que exigem documentos oficiais como compra e venda de imóvel, compra e venda de automóvel, contratos, entre outros.
  • Ginkoin [銀行印] – é o carimbo utilizado nas transações bancárias como abertura de contas.
  • Mitomein [認印] – é o carimbo utilizado no cotidiano. 
O inkan surgiu há 5 mil anos na região da Mesopotâmia. Apenas os sábios da época tinham um. Eles o penduravam no pescoço com uma corda, já que era um acessório essencial no cotidiano. Posteriormente, o inkan se espalhou para o mundo, chegando ao Japão.
Já em terras nipônicas, esse carimbo era utilizado apenas pelo imperador e seus agentes para autenticar os documentos oficiais. A partir da Era Heian e Kamakura, o inkan se tornou comum entre a população. Na Era Meiji, conforme a legislação japonesa, tornou-se objeto de uso comum sendo necessário ser registrado na prefeitura. 
Agora que já são experts no assunto inkanposso contra minha experiência:
Eu nunca tive um inkan, afinal, não tenho sobrenome japonês! Nunca precisei ter um, pois como sou “estrangeira” usava minha assinatura ocidental conforme consta no meu gaikokujin toroku(documento de identificação para os estrangeiros).
Mas, outro dia, precisei abrir uma conta e o funcionário do banco solicitou meu inkan. Expliquei que não tinha. E ele perguntou a razão já que era casada com um descendente de japonês. Então tive que explicar que quando casei optei por não usar o sobrenome do meu marido. Enfim … não consegui abrir a conta e então tive que confeccionar um em katakana mesmo.
Detalhe: fazer um inkan sai caro! É como você estivesse pagando um artista para criar uma obra de arte! E eles cobram por letra. Como o meu sobrenome tem 6 letras em katakana saiu por 6.000 ienes! Takai né! Para se ter uma idéia, os sobrenomes japoneses mais comuns, como Minami, você encontra nas lojas de hyaku-en! 
Inkans em uma loja de hyaku-en
Nas lojas de hyaku-en você encontra diversos acessórios para inkans: capinha, tinta vermelha, carimbeira

O importante é que ficou bonito e certamente será uma recordação do Japão!

またね
Thais Fioruci
Referências:
Inkan. Disponível em http://www.nipocultura.com.br/?p=500

12 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *