Culinária

LÁMENYA – EXPERIMENTANDO O INCREMENTADO “MIOJO” JAPONÊS

Olá Minnasan,
A culinária japonesa dispensa apresentações. Para quem não é descendente ou mesmo um turista de primeira viagem se surpreende com a variedade de pratos e ingredientes. Mas vale dizer, muitos sabores são “estranhos” ao nosso paladar, já tão acostumado ao tradicional arroz e feijão.
Quando visitei o Japão pela primeira vez, tinha receio de experimentar muitas comidas. Chegava nos restaurantes, abria o cardápio e perguntava sobre todas as opções. Após saber o que realmente era, trocava para algo mais “comum” ou recorria ao McDonald´s. Até um dia em que um amigo me falou: “não pergunte o que é porque se você souber não vai querer”! Foi o que fiz! Hoje, não vou dizer que como todos os pratos da gastronomia oriental (até porque tem alguns que não dá), mas já aprecio quase todos.
Outro dia fui conhecer o famoso Lamenya (ou ramenya, as duas maneiras estão corretas), um tipo de restaurante especializado em lámen, nosso famoso miojo. Muito popular por aqui, me espantei ao saber que esse prato é, na verdade, de origem chinesa e foi introduzido no Japão no início da era Meiji (1868 à 1912). Hoje, já faz parte da cultura nacional, podendo até ser comparado ao nosso churrasco no Brasil. Existem milhares de lamenyas espalhados por todo o Japão e o que diferencia cada um são os ingredientes, a espessura do macarrão e a textura do caldo.
Neste que fui, localizado na cidade de Yamato, comprei as fichas na máquina logo na entrada. Tudo muito tecnológico como sempre! Você escolhe, aperta o botão com a opção, deposita o dinheiro e o ticket sai. Depois entreguei os tickets à garçonete que leva o pedido ao cozinheiro. Pronto! É só sentar e aguardar. Enquanto isso te servem água, como em todos os restaurantes por aqui. 
Limpei a mão com o wet tissu (lenço umedecido), enquanto esperava meu prato. Pedi um shio ramen (shio vem de sal, logo é um tipo mais salgado que o comum) que acompanha ovo cozido, fatias de carne de porco, brotos de bambu, cebolinha picada e algumas folhas de nori (aquela alga preta que adorna o sushi). Quando chegou … ai que delícia! Como é bom comer lámen nesse frio! Esquenta até a alma. Nas mesas, ficam disponíveis vários tipos de temperos para incrementá-lo, se preferir, e colheres fundas para beber o caldo. 
Ah … e tem que usar o hashi! No começo foi um pouco difícil, mas depois me acostumei. O ruim é que faz uma sujeira! Outra coisa engraçada que reparei foi no som das pessoas puxando o macarrão. Pode parecer nojento ou até mesmo uma falta de educação, mas dizem que quanto mais barulho o cliente fizer, mais gostoso o seu lámen está.
Ainda pedi uma porção de guioza, uma espécie de bolinho de massa fina, suavemente adocicada, recheado com carne ou legumes. A primeira vez que comi isso no Brasil odiei! A carne de porco estava extremamente apimentada. Mas, os daqui são diferentes e sempre peço de legumes. 
Se tiver a oportunidade de visitar o Japão, não deixe de experimentar o famoso lámen. Certamente, você detestará o “miojo” que comemos no Brasil e só irá querer a versão incrementada servida na terra do sol nascente. Totemo oishii!!! Muito gostoso!!!
Até mais,
Thais Fioruci

13 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *