Nagano

MATSUMOTO – UMA CIDADE QUE VAI ALÉM DO SEU CASTELO


Olá,
Matsumoto (松本) é a segunda maior cidade de Nagano. É conhecida por abrigar um dos mais belos castelos originais do Japão, e também, é um ponto de descanso para os turistas que seguem em direção aos Alpes Japoneses. 
Centro de Matsumoto
Igreja católica

Até o posto policial é uma gracinha

Passeando por essa graça de cidade que conserva aspectos ora interioranos, ora metropolitanos, descobri diversos passeios e curiosidades. Rodeadas pelas montanhas cobertas de neve nessa época do ano, alguns prédios possuem aspectos bem europeus.  
Conheça alguns pontos turísticos:
Matsumoto City Museum – Esse museu mostra materiais históricos relacionados ao Castelo da cidade além de artigos de artes;
Former Kaichi School – Fundada em 1873 é a escola elementar mais antiga do Japão. Antigamente, apenas os filhos de samurais tinham a oportunidade de freqüentar um ensino superior. Durante a Era Edo, os cidadãos comuns estudavam em escolas primárias associadas aos templos budistas, onde os monges eram os educadores. A Kaichi foi a primeira escola destinada à comunidade na região e se transformou em uma referência no pais durante a Era Meiji;
Former Catholic Priest Residence – Essa casa em estilo ocidental foi construída em 1889 por Pai Clement, padre francês quem produziu o primeiro dicionário japonês-francês. A obra foi editada e concluída aqui.
Takahashi Family Residence – Acredita-se que essa casa foi construída na primeira metade do século 17. É uma das mais antigas residências de samurais ainda existentes na Prefeitura de Nagano.
Nawate StreetÉ uma rua antiga, bem característica do Japão, cheia de lojinhas que vendem antiguidades, comida, flores, livros, lembrancinhas, etc. Nota-se que existem muitas estátuas de sapos e rãs por aqui. São os mascotes da Nawate Street, talvez por ficar ao lado do rio Metoba. Como rã em japonês fala-se “kaeru”, a mesma palavra usada para o verbo retornar, dizem que, antigamente, dava-se rãs como amuleto para àqueles que iriam subir as traiçoeiras montanhas na esperança de retornarem com segurança;
Yohashira Jinja próximo da Nawate Street

Nakamachi Street – É uma rua cercada de construções antigas, incluindo uma série de edifícios do tipo armazém com paredes pintadas de branco, uma característica dos antigos bairros comerciais. Ali, além de vários objetos de cerâmicas e fontes de águas, o visitante encontrará lojas, restaurantes e ryokans;
Museu do Relógio – Em 1974, Sr. Chikazo Honda doou sua coleção de relógios ocidentais e japoneses para que outras pessoas pudessem apreciá-los. Ao longo do tempo, outros cidadãos também contribuíram com mais peças para enriquecer a coleção, levando assim à abertura do Museu do Relógio em 1 de setembro de 2002. Há mais de 300 relógios, muitos deles ainda em funcionamento. O valor da entrada é de 300 ienes para adultos;
Genchi Well – É uma antiga fonte de água potável bem conhecida na cidade. Até hoje as pessoas a visitam para buscar água fresca!

Museu de Arte – Construído em 2002, com esse lindo arranjo de flores na entrada, exibe a coleção do artista Yayoi Kusama, nascido em Matsumoto, além de obras de muitos artistas japoneses que viveram na cidade ou foram inspirados por seus arredores, incluindo as paisagens de Kazuo Tamura e a caligrafia de Shizan Kamijo.
Ainda tem mais:
Parque Agatanomi

Templo Jorinji

Centro de Artes de Matsumoto

Matsumoto Shrine
São ótimas dicas de passeio e vale muito a pena visitar Matsumoto, principalmente no inverno, quando as montanhas cobertas de neve dão um ar ainda mais belo à cidade!
E no próximo post, não perca, o famoso Castelo de Matsumoto!
Abraços
Thais Fioruci
Referências:

28 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *