AventurasCuriosidades

BANHEIROS JAPONESES – PAGANDO MICOS

Olá galera,
Como sempre digo, aqui tudo é diferente! E acreditem, até o simples fato de usar o banheiro, torna-se uma aventura. Acho que todo estrangeiro se assusta, ou no mínimo se sente perdido ao utilizá-lo pela primeira vez. 
Para começar existem dois tipos de banheiros no Japão: o tradicional japonês (washiki), que nada mais é que um buraco no chão. Geralmente, são encontrados nas estações de metrô e demais locais públicos. São muito simples, pequenos e limpos. Você coloca um pé de cada lado da “privada”, agacha-se e faz o que tem que ser feito. Se precisar, pode se segurar nas barras de ferro que ficam nas paredes. Dizem que é mais higiênico e até contribui para a saúde da mulher, uma vez que fazer xixi nessa posição comprimi a bexiga. 
O outro modelo, encontrado em praticamente todos os estabelecimentos das grandes cidades, é o ocidental (youshiki) com a privada que todos nós conhecemos. Você deve estar pensando “Ufa, agora estou em casa, finalmente um como o nosso!” Mas, é ai que você se engana! Agora, vem a parte mais difícil. 
Bem, os banheiros japoneses dispensam apresentações, famosos por suas privadas altamente tecnológicas. Ao lado do assento, existe um painel de controle onde se encontra de tudo: aquecimento de assento, abertura e fechamento automático das tampas, chuveirinho na intensidade fraco ou forte, jato secante, bidê, descarga automática e até música ambiente. 
O primeiro modelo de vaso eletrônico foi lançado no país em 1980. A linha Washlet, que tem bidê acoplado, é a mais comum nos banheiros públicos de Tóquio e é usada em cerca de 60% das residências japonesas.
Confesso que até hoje tenho dificuldades! São tantos botões que prefiro não experimentar nenhum desses serviços. Mas eu não podia ignorar o mais essencial de todos, a descarga! Caracas … como é difícil achar esse maledito botão. Já a vi em tantos lugares que já nem me assusto mais! Uma vez, fiquei uns 10 minutos procurando-a entre os milhares de botões, atrás da privada, do lado e sabem onde estava? Na parede! Outros ficam na parte inferior do vaso, onde aciona-se com o pé, outros são por touch, é só passar a mão, e outros é uma alavanca. Existe também alguns que são iguais à nossa descarga e o mais interessante é que ela tem níveis para regular o fluxo da água. Prestem atenção nos kanjis: para um fluxo maior epara um fluxo pequeno. 
Botão de descarga na parede!
Ah … e o papel higiênico utilizado deve ser jogado na privada onde se desintegrará. Não existem cestinhos de lixo como no Brasil. Na verdade, você até vai achar uma lixeirinha no banheiro, mas essa é para o descarte de absorventes femininos.
Outra coisa bastante curiosa são os sons que encontrei nos banheiros japoneses. Quando você fecha a porta, começa a tocar uma musiquinha que imita a queda de água. Além de dar uma sensação de tranqüilidade, ajuda na hora de fazer xixi. 
As mulheres japonesas têm muita vergonha que a pessoa do banheiro ao lado ouça seus “ruidos”. Para resolver isso, existe uma caixa que emite um som de descarga quando você encosta nela.

Esqueça a realidade dos banheiros brasileiros. Aqui os encontramos em qualquer lugar, sempre limpos e bem conservados. Neles, você verá: dois rolos de papéis higiênicos (caso um acabe), cheirinhos aromatizantes, protetor para assento, lenços umedecidos, ganchos para pendurar casacos ou bolsas e cadeirinhas para colocar crianças enquanto você o utiliza. Em alguns mais chiques, existe até uma sala ou um espaço reservado para maquiagem.
Existe um botão que funciona em casos de emergência. Se você não estiver se sentindo muito bem, aperte que prontamente alguém te socorrerá. E ai que surge outro problema. Muitos estrangeiros pensam que esse é o botão da descarga e acabam apertando-o. Quando aparece alguém, ficam sem entender. Conheço uma pessoa que já vivenciou essa situação (não fui eu, antes que perguntem). Estávamos no terceiro andar de um kaikan (associação de bairro) e meu amigo foi usar o toire (トイレbanheiro em japonês). Não sabendo ler os kanjis, apertou o botão de socorro. Quando saiu, um senhor muito velhinho, subiu as escadas correndo (estava praticamente com a língua de fora), perguntando o que estava acontecendo. Foi muito engraçado!
As torneiras e saboneteiras são automáticas assim como a secagem das mãos. Mas, os japoneses carregam sempre uma toalhinha. Já até peguei esse costume também rs
É importante dizer que nas casas japonesas, ao entrar no banheiro, deve-se calçar um chinelo específico. E não esqueça de deixá-los lá na saída. Às vezes, os visitantes, geralmente estrangeiros, esquecem e ficam andando pela casa com esse chinelo, o que deixa os anfitriões tensos ou com muita vontade de rir.
É pessoal, aqui no Japão a tecnologia está presente até no seu xixizinho diário. Veja mais fotos e esse video!

Acharam legal? Agora, quando vierem visitar o Japão não vão pagar tantos “micos” para usar o banheiro hehehe
Beijos
Thais Fioruci


Fontes:
Banheiros Japoneses. Disponível em http://www.tadaimacuritiba.com.br/banheiros-japoneses/
Privadas “High-Tech” do Japão. Disponível em http://apatotadopitaco.blogspot.com/2010/06/privadas-high-tech-do-japao.html


46 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *