TERREMOTOS NO JAPÃO

Olá,
Para começar o post da semana. O que você sabe sobre terremotos?
Terremotos ou abalos sísmicos são tremores que ocorrem na superfície terrestre quando: há falhas geológicas, atividade vulcânicaou existe a junção de diferentes placas tectônicas (blocos que formam a crosta terrestre). Esse fenômeno acontece diariamente no mundo, porém a maioria tem uma intensidade muito baixa, quase que imperceptível ao corpo humano. Os lugares com maior incidência são aqueles localizados nas zonas de convergência das placas, ou seja, onde estão os países como Indonésia, Índia, Filipinas, Papua Nova Guiné, Turquia, Estados Unidos, Haiti, Chile e o Japão. 
Sempre me perguntam se não tenho medo de terremotos. Respondo que sim, dá um certo medinho, mas é como eu digo, depois de um certo tempo morando aqui, isso acaba se tornando algo comum, do nosso cotidiano, e assim nos acostumamos. É como a violência no Brasil, sabemos que ela existe e adaptamos a nossa vida para evitar transtornos, e assim fazemos por aqui também. Tomamos várias precauções visando sempre à nossa segurança e dos demais cidadãos.    
Como o Japão está localizado em uma zona muito sísmica, dezenas de terremotos acontecem durante o dia. Muitos são bem fraquinhos enquanto outros de maior intensidade, podem provocar tsunamis e incêndios. No entanto, sabendo que o pais esta sujeito à esse tipo de catástrofe, o governo toma uma série de medidas para reforçar os edifícios e orientar a população. Depois da tragédia de 11 de março de 2011, quando a região de Tohoku foi atingida por um tremor de 9 graus de magnitude seguido por um tsunami,os cuidados foram redobrados. É como eu digo, se for só o terremoto, o Japão é o país mais preparado!  
Aliás, o primeiro jishin (terremoto em japonês e se escreve assim 地震) a gente nunca esquece. O meu aconteceu de madrugada e a casa começou a balançar, bem de levinho. A primeira sensação que temos é de tontura e dependendo da intensidade não conseguimos nos movimentar. O engraçado é que, depois que nos acostumamos, você só sabe que está tendo um terremoto (grau leve) quando o lustre da casa começa a balançar.
Uma coisa que não sabia e que sempre ouvia o pessoal falar …”ah, o terremoto que pula”. Pensava, meu deus o que será isso? Existem dois tipos de tremores: o que acontece na horizontal e outro que ocorre na vertical. Na minha opinião, esse último é o pior, parece que está dando “soquinhos” embaixo da terra e sim, a casa pula …..  foi quando entendi a expressão!
No Japão, utilizamos a escala Shindo que determina a forma como o tremor é sentido no solo. A contagem vai de 0 à 7. A escala Richter, utilizada na maioria dos países, mede sua magnitude ou a quantidade de energia liberada no epicentro durante o abalo sísmico.
Como eu recebo muitas perguntas em relação á esse tema, principalmente de quem pretende morar aqui, vou detalhar alguns procedimentos importantes. Espero que os ajudem!
A primeira coisa que você deve fazer é ir à prefeitura de sua cidade e pedir orientações. Eles possuem uma série de panfletos com explicações e organizam palestras demonstrativas por províncias. Procure saber a data e o local. Todo ano, dia primeiro de setembro, data que aconteceu o Grande Terremoto de Kanto em 1923, é marcado como o Dia de Prevenção de Desastres, quando escolas, fábricas, prefeituras organizam treinamentos e eventos para conscientizar e preparar a população.
Depois, as precauções devem começar pela casa:
> Os móveis como armários, estantes, gaveteiros devem ser fixados na parede ou no teto. > Os home centers vendem ganchos em forma de L (para fixar na parede), correntes (para ficar no teto) e no caso de televisores, computadores, existe um adesivo para serem fixados nos móveis também; 
>Evite colocar qualquer coisa na parede como relógios, quadros, espelhos porque a maioria dos acidentes que acontecem durante o terremoto são de objetos que caem. Por essa razão, quando o tremor começa as pessoas são orientadas a ficarem debaixo da mesa;
> Evite colocar coisas pesadas como aparelhos de som, televisores em lugares altos;
> Deixe o caminho da saída livre;
> Deixe sempre o gás desligado;
> Quando sentir o tremor, levante-se rapidamente e destrave a porta de saída;
> Ao lado da porta de saída (nas casas aqui sempre tem um armário), deixe pronto seu Kit Terremoto; 
> Eu também deixo um roupão e uma blusa de frio caso o tremor aconteça de madrugada;
> Procure se informar na prefeitura onde fica o local de refúgio de emergência do seu bairro.
Outros tipos de precauções:
> Se estiver dirigindo no momento do tremor, mantenha a calma, segure firme o volante, desacelere e estacione em local seguro. Caso precise se abrigar, deixe a chave no contato e leve consigo documentos pessoais e objetos de valor. Importante: Não fique no interior do veiculo!
> Se estiver na rua, proteja a cabeça e vá para um local amplo e seguro;
> Se estiver próximo do mar, vá para um local alto;
> No trem segure firme e mantenha a calma. Em caso de aviso de terremoto, os trens param de funcionar até que tudo esteja bem;
> Se você tiver um Iphone, baixe um aplicativo que emite o alerta de jishin. Existem vários. Eu utilizo o Yurekuru que toca uma musiquinha sinistra segundos antes do tremor acontecer. 

Tela do app Yurekuru



> Ah …. a televisão também apita quando acontece o tremor! Logo depois na tela já aparece o mapa do Japão, destacando o local, as regiões em alerta e se há perigo de tsunami

  

Desculpe a foto torta, mas esse foi de madrugada!

Em todos os canais o mapa aparece

> Em casos de fortes tremores, as cidades possuem altos falantes que também avisam e orientam a população.
 
Bem, o post ficou um pouco longo. Há tempos queria escrever sobre esse tema porque é um assunto muito importante para quem vive aqui ou apenas pretende passear. O Japão é um país atingido por várias catástrofes naturais, só na semana passada, tivemos um tufão, dois terremotos fortes, temporais e por ai vai. Devemos sempre estar preparados.
Não listei os itens que compõe o Kit Terremoto para o post não virar um livro. Se você, leitor querido, quiser saber os itens, escreva aqui nos comentários.
Beijinhos
Thais Fioruci
Referências:
http://www.brasilescola.com/geografia/terremotos.htm
Guia Japão 2014. Páginas 153-159

18 comentários em “TERREMOTOS NO JAPÃO

  1. Eu certamente adoraria saber o que tem no kit! Aqui em casa meu pai tem uma mala de emergência, caso precisemos sair pro hospital ou algo do gênero, mas não passam de algumas mudas de roupas e copias de alguns documentos básicos~

    Eu sempre fico pensando "Poxa, e se quando eu for visitar o Japão tiver um terremoto???" e a única coisa que me passa pela cabeça é me esconder debaixo da mesa ashuhsauashua

  2. Olá Dania!

    Pior que o mundo está tão louco que não estamos seguros em nenhum lugar do mundo! Aqui é terremoto, no Brasil violência, sem citar os atos terroristas e as guerras! Fico muito triste com isso =/

    Beijos
    Thais Fioruci

  3. Oi Claudia!

    Seu pai está de parabéns!!!! Realmente não pensamos muito nisso mas nunca se sabe o futuro né. Aqui não são apenas esses fenômenos naturais, acontecem muitos incêndios de casas também … então devemos sempre nos preparar para facilitar o processo em caso de emergência. No Brasil não pensamos muito nisso e eu fiquei realmente admirada quando cheguei. Já no aeroporto orientam as pessoas em casos de terremoto e na prefeitura, qdo vc se registra como morador, te dão panfletos de como se preparar!

    Beijos
    Thais Fioruci

  4. Acabei de me mudar pro Japão, pra Ibaraki e aqui treme todos os dias, rs.
    Dia 13 de madrugada, meu celular deu o alerta de emergência, mesmo sem ter o app para isso.
    Depois vi que tinha a opção de "Alerta do Governo" ativada na Central de Notificações, além também do alarme do bairro, que quase me matou do coração.
    No final das contas, o terremoto mais forte nem foi aqui e eu nem consegui mais dormir, hehe.
    Pretendo montar meu kit terremoto e também queria saber quais itens seria bom colocar nele.
    Arigatô…
    Mariana

  5. Olá Mariana!!!

    Ibaraki treme bastante msm =/ Mas vc chegou agr? Baixa o app do Yurekuru. Sei qual terremoto foi rs … tb dei um pulo do futon e já corri para destravar a porta. Meu marido nem se mexeu kkk … é bom sempre estar alerta mas dps de um tempo aqui, vc vai se acostumar e nem perceberá, ao menos que seja muito forte.

    Beijos
    Thais Fioruci

  6. Olá!!

    Post bastante informativo este. Mesmo morando no Brasil já senti uns tremores e dizem ser de terremotos fortes que acontece no Chile. Foi sentido só uma vez, embora haja relatos de outros tremores.

    O Grande Terremoto de Kanto foi citado no filme Vidas ao Vento… Tinha que comentar isso.

    Essa é uma das mais variadas coisas que acho legal no Japão. Eles tem terremotos e estão preparados para isso, diferente de um país brazuka aí que todo ano sofre com enchentes e não tem nada precavido…. A não ser que você tenha um bote!!

    Fiquei curiosa com relação ao kit terremoto. E eu já tinha lido sobre esse app.

    Até mais

  7. Olá! Eu gostaria de saber se no Japão tem muito preconceito racial?? Meu sonho é morar aí, só que tenho medo, uns dizem que isso existe outros dizem que não. Por favor me responda ficarei muito feliz! Obrigado!

  8. Olá!!!

    Olha, eu diria que sim …. afinal, preconceito existe em qualquer lugar, em qualquer país. Existe preconceito de alguns japoneses por sermos estrangeiros, mais nessa parte. Eu nunca sofri, mas sempre vemos noticias na mídia. Afinal, existe preconceito até entre os japoneses …. Agr, acredito que não tenha muito preconceito em relação à cor e sexualidade, como vemos no Brasil.

    Vc não precisa ter medo … acho que em qq outro país tenha isso … sempre vejo noticias de grupos opressores na Europa e acho que lá a coisa é até pior. Temos que entender o lado dos japoneses, respeitá-los e tentar nos inserir na comunidade deles, para que possam mudar esse pensamento em relação à nós!

    Espero ter te ajudado!

    Abs
    Thais Fioruci

  9. Oie!!!

    Obrigada por incrementar o post!!!! Esse terremoto de Kanto é bastante comentado na história do Japão. Sério? Já ouvi alguns boatos mas nunca acreditei! Uma vez minha mãe disse que sentiu um também =o

    No caso do terremoto de Fukushima, o grande problema foi mesmo o tsunami pois não estavam preparados e nem imaginavam que isso podia acontecer. Hoje, já estão fazendo várias obras em diversas cidades costeiras para evitar que uma nova tragédia desse tipo aconteça.

    Beijos
    Thais Fioruci

  10. Olá!!

    Tenho lido muito sobre a cultura do Japão e também sobre os terremotos e tsunamis! Meu filho fará intercâmbio de um ano e não tem como eu falar que não estou ansiosa e preocupada. Minha dúvida anteriormente era, de certa forma inocente, se os abalos sísmicos costumavam ocorrer sempre nas mesmas proximidades, na esperança que tivesse algum lugar que possuísse menos probabilidade de ser atingido, hj acho graça. Mas, enfim, tenho observado que isso não existe e que de fato cada lugar do mundo apresenta suas fragilidades de forma peculiar. Mas, de certa forma, ler seu post me deixou mais calma, pois também penso que se morasse em outro continente e tivesse que mandar meu filho para o Brasil, eu também teria muito medo!! Acho que minhas preocupações são coisas de mãe!!

    Obrigada pelo post, quanto mais conheço menos medo tenho!!!

    Grata,
    Dayane

  11. Olá Dayane!

    é muito dificil ter um lugar no Japão onde não aconteçam os terremotos. Claro, existem locais onde as incidências são maiores, mas msm assim há o risco. Na ilha de Okinawa, ao sul do Japão, dificilmente acontecem terremotos, porém a ilha é muito castigada por tufões e tempestades.

    Claro, não vou negar que ainda temos medo mas se avaliarmos, de todos os países onde acontecem terremotos, certamente o Japão é o mais preparado para suportar. Todos os anos fazemos treinamentos e sim, estamos preparados para lidar com isso. temos que ficar atento, assim, como no Brasil, convivemos com assaltos, violência, etc.

    Fico feliz por meu post ter confortado seu coração de mãe e se precisar conversar mais pode mandar email =)

    Abs e boa viagem ao seu filho
    Thais Fioruci

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *